www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Entrevistas
28/10/2010
O promotor foi promovido: Leia a entrevista onde ele fala do trabalho que realizou em Costa Rica

O promotor de justiça da Comarca de Costa Rica, Izonildo Gonçalves de Assunção Junior, responsável também pelo Município de Figueirão foi promovido por merecimento e agora vai atuar na Comarca de Dourados. Ele deve deixar a cidade assim que encerrar o segundo turno das eleições presidenciais, uma vez que ele é o responsável pela promotoria eleitoral na comarca. Homem simples, mas determinado na função que ocupa, Izonildo aproximou o Ministério Publico Estadual do Cidadão, se manteve sempre muito próximo das investigações de crimes que abalaram os moradores e realizou mais de 100 júris populares.

Casado, Pai de dois filhos, o promotor enfrentou momentos difíceis na vida pessoal, foi acometido por um câncer na tireóide, que foi totalmente curado. Nos últimos meses precisou andar acompanhado de seguranças em razão de ameaças que vinha sofrendo. Religioso, o promotor agradeceu por várias vezes a Deus durante a entrevista pela sua saúde e seu trabalho. Extrovertido, Izonildo conhece por nome a maioria dos moradores, sempre que está em local público, ou está brincando com alguém ou está contando uma piada. Ele realizou palestras nas escolas com objetivo de aproximar o cidadão do Ministério Público.

Hora da Notícia - Qual foi o trabalho que mais exigiu do senhor?

Izonildo - Em Costa Rica tudo foi muito difícil, mas a parte de investigação criminal e o trabalho no Tribunal do Júri foi bastante difícil. Eu considero como o trabalho mais difícil os crimes que repercutiram junto á sociedade, como o tráfico de drogas e o crime organizado, esses foram os trabalhos mais difíceis. O trabalho que mais me recompensou foi á aproximação do Ministério Público com o cidadão através de palestras em escolas e audiências públicas que realizei. Fazer esse trabalho de aproximação entre o Ministério Público e a sociedade mostrando as diversas áreas de atribuição, isso foi gratificante nesses seis anos e meio de trabalho.

Hora da Notícia - O cidadão tinha dificuldade de se aproximar do promotor, o senhor mudou isso?

Izonildo - Eu sempre convivi com pessoas simples, eu nasci na roça, tive muito contato com pessoas simples de baixo grau de estudo, por isso eu faço questão de aproximar o cidadão do Ministério Público com uma conversa que o cidadão possa entender, levando um abraço amigo e o apoio.

Hora da Notícia – Em quantos júris o senhor já trabalhou?

Izonildo - Eu não fiz a conta, já participei de vários mutirões de júris em Campo Grande, desde 2003 eu participo desses mutirões, mas eu acho que já trabalhei em mais de 100 julgamentos no tribunal do júri.

Hora da Notícia – Qual desses júris que mais exigiu ou mexeu com o senhor?

Izonildo - Eu tive vários júris complicados em Costa Rica, um que me chamou bastante atenção foi o crime da feira onde duas pessoas foram assassinadas. Quando esse crime aconteceu eu não estava aqui ainda. Outro crime foi do tio que matou a sobrinha, eu acompanhei desde o momento do crime, antes de encontrarem o corpo, acompanhei toda a investigação, depois ofereci a denuncia e durante o julgamento do acusado no plenário do tribunal fiz a acusação do réu. Foi um crime de estupro, atentado violento ao pudor e assassinato da própria sobrinha de 14 anos de idade. O tio foi condenado, essa era uma promessa que eu havia feito para a família. Tínhamos que encontrar provas e encontramos essas provas. Fizemos um trabalho onde foi possível a ampla defesa do acusado, mas no final prevaleceu a justiça e ele foi condenado a trinta e poucos anos de prisão.

Hora da Notícia – Esse trabalho emocionou o senhor em algum momento?

Izonildo - Esse foi um trabalho que eu me emocionei muito em razão da idade da criança, mas muitos outros me emocionaram, na verdade você conseguir a justiça ser feita, aplicar realmente a lei ao caso concreto e muito difícil. As palestras me emocionaram bastante, as pessoas me deram um retorno muito grande, um amor muito grande que eu recebi dessa população, então eu só tenho a agradecer. Em Costa Rica eu aprendi muito, deixei ás vezes muitas coisas por fazer, mas é impossível agente trabalhar e conseguir atender todos os desejos.

Eu fiz o máximo que eu pude, eu fiquei em Costa Rica mais de dois anos sem nenhum funcionário para me ajudar, isso me prejudicou muito no começo.

Eu tive um câncer em 2004, operei, fiz júri ainda com os pontos no pescoço, recebi o apoio da população para continuar vivendo, lutar e ser forte, isso eu não esqueço nunca. Essa é uma cidade que eu pude criar meus filhos brincando nas ruas e estudando, aqui eu fiz muitos amigos, aqui respeitei a população e fui respeitado por ela.

Eu saio de Costa Rica com a consciência do dever comprido. Eu sempre vou visitar, eu levo Costa Rica no meu coração.

Hora da Notícia – O senhor está curado do câncer?

Izonildo - Graças a Deus. Estou curado, fui curado, fiz a cirurgia de emergência, fiz todo o tratamento em seguida, faço hoje o acompanhamento a cada seis meses, isso é necessário fazer até eu morrer. Tenho que tomar hormônio a vida inteira, eu não tenho a tiróide, eu tinha três tumores malignos na tiróide, mas graças a Deus eu estou curado, Deus me tirou dessa.

Hora da Notícia – O senhor já recebeu o titulo de cidadão costarriquense que lhe foi outorgado?

Izonildo - Um dia eu confessei para a minha esposa que o grande pagamento pelo trabalho que eu fiz em Costa Rica seria ser cidadão dessa cidade. Graças a Deus eu fui homenageado. Foi uma emoção muito grande, infelizmente eu não recebi o título. O prefeito me pediu para antes de eu sair ele quer fazer uma sessão para me entregar, mas na verdade eu já recebi esse titulo de coração. Eu não pude receber em dezembro de 2009, estava viajando de férias, mas mandei um oficio informando que não poderia estar presente na cerimônia de entrega.

Estive esse ano inteiro com dificuldades, tive problemas aqui em Costa Rica em razão de ameaças, a minha vida teve que ser um pouco alterada, mas nas próximas semanas vamos ter uma cerimônia para que eu possa receber o título. Eu falei para o prefeito ainda, que seja no gabinete dele. A maior importância é receber esse titulo que representa o carinho das pessoas.

Hora da Notícia – Como o senhor se sente diante desasas ameaças como promotor tendo que fazer cumprir as leis e vê sua família privada de liberdade e o senhor tendo que andar com seguranças?

Izonildo - Não é uma situação boa, mas é o ônus que agente tem na carreira, nos não temos só bônus; na carreira não temos só ganhos, numa carreira dessa quando você resolve enfrentar a criminalidade e exercer suas atribuições com força isso muitas vezes é inevitável, as pessoas não entendem que é o trabalho do promotor, eles levam para o lado pessoal. Eu nunca prejudiquei ninguém, o que eu fiz foi tentar aplicar a justiça aquele caso concreto. Infelizmente nos tivemos casos graves na cidade, eu tive que agir de uma maneira firme, essa ação firme, essa ação independente, essa ação sem nenhuma amarra para fazer aquilo que o Ministério Público tem como função, principal que é garantir a ordem jurídica no regime democrático e aplicar a lei.

Hora da Notícia – Hoje o chefe do Ministério Publico Estadual é acusado de receber propina, como o senhor vê isso?

Izonildo - Na verdade foi uma denúncia de um deputado onde ele incluiu não só o ex-procurador geral do Ministério Público, mas ele incluiu autoridades do poder judiciário, do poder executivo e legislativo.

Eu vejo isso com preocupação, mas eu posso garantir que o próprio Ministério Público Estadual está investigando, o Ministério Público Federal e a Policia Federal receberam os documentos e estão investigando. Agente precisa que tudo seja esclarecido para que pessoas inocentes não sejam vilipendiadas em razão de denuncias que não são verdadeiras. Tudo deve ser apurado com muito rigor. É muito triste agente ouvir uma denuncia dessa, mas eu tenho que entender o seguinte, tudo está sendo investigado e apurado para depois termos um juízo definitivo se essas pessoas realmente cometeram crime, ai elas devem ser punidas por isso.

Hora da Notícia – Como está o processo para apurar o valor de diárias pagas aos vereadores?

Izonildo - Essas diárias dos vereadores eu recebi da ONG – Viva a Vida um pedido de providências que eu instaurei um procedimento. Nós montamos toda a documentação, eu pedi uma perícia para o nosso Instituto de Perícias lá em Campo Grande que é quem faz essas pericias para agente. É uma documentação muito grande, eu não tive a resposta até hoje. Esse procedimento inclusive tive que fazer um arquivo provisório da documentação porque não teve como concluí-lo.

Hora da Notícia – O senhor tem algum processo contra políticos da cidade tramitando?

Izonildo - Nós tivemos várias ações cíveis públicas aqui contra atos de políticos, inclusive nos já tivemos condenações e obviamente o Ministério Público continua agindo. Nesse último ano nós não tivemos muito tempo para agir na área do patrimônio público em razão desses crimes todos, mas tem muita coisa por apurar. Eu estou com 11 procedimentos instaurados na promotoria do patrimônio público, inclusive investigação no município de Figueirão e Costa Rica.

Matéria alterada para correção em 15-10 as 11h06

Hora da Notícia


Notícias em Destaque
06/08/2020 Delegado réu por apoio a milícia ganha liberdade e terá de usar tornozoleira
06/08/2020 Coronavírus: Em estado grave, delegado é transportado de avião para São Paulo
06/08/2020 Operação da PF prende secretário de Transportes de SP
05/08/2020 Fique atento: Costa Rica ultrapassa 200 casos confirmados do novo Coronavírus
05/08/2020 Por unanimidade, Supremo mantém afastamento de Tânia Borges do Tribunal de Justiça
 
     COLUNISTAS
  
     GALERIA DE FOTOS
Protesto da OAB-Costa Rica
  
Imagem do dia
Policia civil de Costa Rica queima quase 600 quilo de maconha
 


   
IBGE dá início à pesquisa sobre a Covid-19 com entrevistas por telefone
    
   
Ramiro Piergentile Neto
Direito de Opinar
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   horadanoticiaredacao@hotmail.com   |   Costa Rica - MS