www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Política
25/03/2015 - 07:57
Superintendente é exonerado e Dnit volta a ficar sem comando em MS
Foto: H.N
CGrandenews
Caos da rodovia  BR 060
Caos da rodovia BR 060
O Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) voltou a ficar sem comando em Mato Grosso do Sul. Nesta quarta-feira, foi publicada a exoneração de Carlos Antônio Marcos Pascoal, que era superintendente do órgão desde outubro de 2013. A demissão é assinada pelo ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues.
 
Na última sexta-feira, dia 20, a situação de abandono das rodovias levou policial rodoviário federal a executar, por conta própria, serviço de tapa-buraco na BR-267. Na BR-158, no trecho entre Aparecida do Taboado e Paranaíba, o MPF (Ministério Público Federal) teve que exigir reparos devido aos riscos para os usuários. 
 
Cai-cai - Nos últimos três anos, é a terceira queda no comando do Dnit . Em janeiro de 2012, Marcelo Miranda, que já foi governador do Estado, acabou demitido após denúncias de irregularidades. Ele estava no cargo há quase dez anos.
 
Em seguida, a superintendência foi assumida por um interino por seis meses. Em junho de 2012, o governo federal nomeou Euler José dos Santos, que ficou no cargo até outubro de 2013.
 
A demissão de Euler ocorreu após pressão do governo federal. A justificativa foi de que os investimentos realizados pelo Dnit despencaram em Mato Grosso do Sul, de R$ 750 milhões para R$ 150 milhões.  Ele foi sucedido por Carlos Antônio.
 
À época da nomeação, o servidor era investigado por irregularidades em três contratos de obras do PAC na BR-163, na divisa de Mato Grosso com o Pará. A investigação envolvia valores de R$ 500 milhões. Conforme o portal da transparência, a remuneração bruta para o cargo de superintendente é de R$ 23 mil. 
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 


   
Previdência: reforma corta pensão por morte pela metade e prejudica os cônjuges
    
   
Reforma da Previdência:
    
   
    
   
José Edson Narciso

Salve, Salve pra você

Neste dia tão especial. O Hora da Notícia deseja&...

    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS