www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Polícia
18/06/2015 - 23:00
O fogo no canavial está sendo tratado pela polícia e a empresa como criminoso, o prejuízo atinge três milhões
Foto: Whatsapp
Hora da Notícia
A suspeita de incêndio criminoso nas lavouras cana-de açúcar de responsabilidade da Empresa Odebrecht Agroindustrial levou duas equipes de delegacias especializadas do estado para a cidade de Costa Rica/MS. As equipes estão auxiliando nas investigações com o intuito de chegar aos supostos suspeitos de terem colocado fogo em uma área de cerca de 2.900 hectares no último domingo (14) de junho, conforme B.O (Boletim de Ocorrência) registado na segunda-feira (15) as 18h03. De acordo com o B.O o fogo teve início às 09 horas.   
 
Figura como vítima no B.O a Empresa Brenco Companhia Brasileira de Energia Renovável. No Boletim foi relatado que cinco carros e quatro motocicletas suspeitas foram vistos na área onde aconteceu o fogo, as placas dos veículos foram informadas. O superintendente do Polo Taquari da Empresa Odebrecht, Luiz Paulo Sant’Anna informou ao Hora da Notícia que o registro do B.O só foi efetivado no final da tarde de segunda feira devido aos levantamentos das áreas queimadas.
 
Vale ressaltar que as queimadas em áreas de canavial no Município acontecem sempre, diversos Boletins de Ocorrências já foram registrados, porém nenhum com o volume de prejuízo informado, dessa vez. De acordo com o B.O os prejuízos diretos estão sendo apurados, mas já se pode estimar em no mínimo um valor de três milhões de reais.
 
Queima autorizada:
 
A empresa Odebrecht havia iniciado a queima controlada de áreas na última terça-feira (10), o processo se estendeu ate o sábado (13). O superintendente Luiz Paulo informou ao Hora da Notícia que a empresa conseguiu junto ao IMASUL (Instituto de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul) autorização para proceder à queima profilática (prevenção de doenças) da palha da cana-de-açúcar de 9.800 hectares.
 
O superintendente ressaltou ainda que a empresa comunicou as autoridades do Município sobre a realização das queimadas, “foi comunicado a Polícia Militar Ambiental, o Ministério Público Estadual, o IMASUL e o Prefeito Waldeli Rosa, (PR)”. Foram dez propriedades rurais que foram atingidas sendo oito simultaneamente no dia 09 de junho, segundo as informações.
 
Tormento dos produtores:
 
De acordo com o superintendente esse tipo de queima é usual para o controle emergencial e a prevenção de surtos provocados pela mosca-dos-estábulos (Stomoxys calcitrans). O Superintendente informou ainda que a queima é uma recomendação da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), “esse é o último recurso para tentarmos diminuir o ataque da mosca aos animais”, disse , Luiz Paulo.
 
A mosca-dos-estábulos já provocou prejuízos incalculáveis aos produtores rurais da região com a perda de animais no último ano. As reivindicações para que a empresa encontre um meio para exercer o controle do inseto virou tema redundante.
 
Desenvolvimento:
 
A empresa Odebrecht Agroindustrial trouxe para Costa Rica o desenvolvimento, mas com ele veio também os desafios que precisam ser equacionados. A empresa cultiva uma área de cana de cerca de 50 mil hectares e emprega 1.557 funcionários conforme informou o superintendente ao Hora da Notícia na última quarta feira (17).
 
Setor quebrado:
 
O Hora da Notícia questionou o superintende sobre a saúde financeira da empresa em Costa Rica, ele argumentou que a Odebrecht não está quebrada, “o setor está quebrado, sofremos as mesmas consequências, nos estamos sobrevivendo no mercado, temos que moer cana para sair da crise”, disse.
 
A investigação:
 
O delegado responsável pela investigação é o titular da delegacia de Costa Rica, Cleverson Alves Santos. Duas equipes de policias de duas delegacias especializadas de Campo Grande, Garras (Delegacia Especializada Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros) e Defron (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira) foram mandas para a cidade e trabalha auxiliando nas investigações.
 
O governado Reinado Azambuja, (PSDB) disse ao Hora da Noticia na última quinta-feira (18) no Município de Figueirão/MS que o envio de duas equipes de policias especializada para Costa Rica foi uma solicitação dos responsáveis  pela usina. 
 


É permitida a reprodução do conteúdo desta página desde que seja citada a fonte, Hora da Notícia. Todos os direitos reservados.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 


   
Previdência: reforma corta pensão por morte pela metade e prejudica os cônjuges
    
   
Reforma da Previdência:
    
   
    
   
José Edson Narciso

Salve, Salve pra você

Neste dia tão especial. O Hora da Notícia deseja&...

    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS