www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Política
10/08/2015 - 06:20
Câmara pede ao STF que anule provas contra Cunha coletadas na Casa
Folha.Uol
Em documento assinado pela Advocacia-Geral da União, a Câmara dos Deputados pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) a anulação de provas recolhidas no interior da Casa contra o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da instituição, durante as investigações do esquema de corrupção da Petrobras.
 
A ação ocorreu em maio, após a Folha revelar que o nome de Cunha aparece como autor dos arquivos nos quais foram redigidos requerimentos em que delatores do esquema dizem comprovar seu envolvimento com o escândalo de corrupção.
 
Com autorização do ministro do STF Teori Zavascki, relator da Lava Jato, procuradores foram até o sistema de informática da Casa e fizeram cópia do material, mas não chegaram a apreender nem levar nada do local.
 
Segundo o advogado-geral da União substituto, Fernando Luiz Albuquerque Faria, houve uma "devassa" no sistema de informática da Câmara a pedido do MP, ferindo a imunidade do Parlamento, que é assegurada pela Constituição, atacando a separação dos Poderes, o que coloca em risco a democracia.
 
Outro argumento usado para alegar ilegalidade na ação é o de que ocorreu violação do sigilo de parlamentares, ao efetuar cópia de material do setor de tecnologia da Casa, sem autorização ou consulta ao Congresso.
 
De acordo com Faria, o objeto da ação não é "sair em defesa de Cunha", mas preservar garantias constitucionais aos parlamentares.
 
"É necessário esclarecer que o interesse da Câmara nesta causa, única e exclusivamente, na defesa de prerrogativas institucionais desta Casa do Poder Legislativo como um todo e de seus membros em particular, para assegurar regularidade dos trabalhos parlamentares, sem intervenções externas", disse.
 
"Prerrogativas que, como o próprio nome indica, estão a serviço das magnas funções que a Constituição reservou a cada uma das Casas Legislativas e seus parlamentares, para assegurar o equilíbrio democrático entre os Poderes"
 
Ao analisar o pedido, a Câmara afirma que o Supremo "deve escolher se o Brasil deve se comportar como as 'democracias de fachada', próprias de 'terceiro mundo'" ou se atua como uma democracia consolidada.
 
"Ainda que a Câmara dos Deputados –como toda a sociedade brasileira– esteja à espera da elucidação de todos os fatos investigados no Inquérito 3.983 [o contra Eduardo Cunha], não se pode aceitar que a persecução criminal, mesmo em fase preliminar, se desenvolva com menoscabo das prerrogativas institucionais do Poder Legislativo".
 
A AGU chega a citar na ação que, como não há precedentes no Brasil, os Estados Unidos reconheceram imunidade na sede do parlamento, em um caso em que o congressista William Jefferson foi investigado por esquema de fraude e suborno.
 
"Os direitos estrangeiros revelam que os documentos e os dados recolhidos na sede da Câmara dos Deputados, sem a prévia autorização do Parlamento, devem ser imediatamente restituídos à Casa e não utilizados em qualquer processo judicial", diz o pedido.
 
ESTRANHO
 
Em sua conta no Twitter, Eduardo Cunha negou ter participação na iniciativa da AGU.
 
"Não orientei qualquer ação, até porque não preciso que a minha defesa seja feita por alguém que não seja o meu advogado", escreveu na rede social.
 
Ele disse ainda ser "estranho" que o pedido ao STF tenha ocorrido três meses depois da ida de policiais federais à Casa e criticou a argumentação da Advocacia-Geral da União.
 
"A reação da AGU deveria ter sido feita em defesa da imunidade parlamentar, não em defesa minha, da qual não preciso", disse
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 


   
Previdência: reforma corta pensão por morte pela metade e prejudica os cônjuges
    
   
Reforma da Previdência:
    
   
    
   
José Edson Narciso

Salve, Salve pra você

Neste dia tão especial. O Hora da Notícia deseja&...

    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS