www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Política
29/09/2015 - 12:06
Vereadores se revoltam com notícia e Gaeco confirma pedidos de prisão
Foto: Marcos Ermínio
CGrandenews
Clima tenso e de revolta marca a sessão da Câmara Municipal de Campo Grande, que começou, nesta terça-feira, sob o risco de ter 17 dos 29 vereadores afastados pelo TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul). O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) confirmou os pedidos de afastamento e de prisões, elevando a tensão sobre os desdobramentos da Operação Coffee Break, que investiga a compra de votos para cassar o mandato de Alcides Bernal (PP) em 2014.
 
Há pouco, o coordenador do Gaeco, Marcos Alex Veras, deixou o prédio do órgão no Parque dos Poderes, onde jornalistas aguardavam a chegada do prefeito afastado, Gilmar Olarte (PP). No entanto, ele não tem depoimento marcado para hoje.
 
A expectativa é de que o desembargador Luiz Cláudio Bonassini da Silva se manifesta nas próximas horas sobre a ação, protocolada na semana passada na Justiça. A pedido do Gaeco, a Procuradoria Geral de Justiça solicitou a decretação da prisão de Olarte e do empresário João Alberto Krampe Amorim, dono da Proteco, e acusado de comandar a organização para fraudar licitações públicas e de coordenar o processo de cassação de Bernal.
 
O procurador-geral de Justiça, Humberto Brites, ainda pediu o afastamento dos vereadores Carla Stephanini, Edil Albuquerque, Vanderlei Cabeludo e Paulo Siufi, do PMDB; Edson Shimabukuro (PTB); Eduardo Romero, Otávio Trad e Flávio César, do PTdoB; Gilmar da Cruz (PRB), Delei Pinheiro, Chiquinho Telles e Ademar Vieira Júnior, o Coringa, do PSD; Airton Saraiva (DEM); Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB); Jamal Salem (PR), João Rocha (PSDB) e Waldecy Batista Nunes, o Chocolate (PP).
 
O presidente interino da Câmara, Flavio César, ficou indignado com o vazamento dos pedidos. Além de surpreso, ele contou que achou estranho o processo que tramita sob segredo de Justiça ser divulgado pela imprensa. “Estamos trabalhando normalmente”, ressaltou.
 
A mesma opinião tem o presidente da Comissão de Ética, João Rocha, que comanda a investigação de nove vereadores, mas também é citado no suposto esquema para comprar votos para cassar Bernal. “Recebi com muita estranheza, mas estou com a consciência tranqüila”, afirmou, na sessão desta terça-feira. Ele disse que a decisão cabe ao desembargador Luiz Cláudio Bonassini.
 
Dos 29 vereadores, 22 estão presentes na sessão da Câmara Municipal.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 


   
João Maria Lós, presidente do TRE:
    
   
Ramiro Piergentile Neto
Direito de Opinar
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   horadanoticiaredacao@hotmail.com   |   Costa Rica - MS