www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Agronégocio
11/08/2017 - 08:00
Milho: safra 2016/2017 deve ser 50% maior que a anterior, diz consultoria
Foto: Canal Rural
CGrandnews
O milho safrinha contabiliza dois recordes em Mato Grosso do Sul: a produção é a maior da história e o preço médio, o menor desde 2010. A colheita mantém o ritmo do ciclo passado, mas a comercialização despencou pela metade. Como resultado dessas equações, há volume acentuado de milho colhido e ainda não vendido.
 
De acordo com o 11º levantamento da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), divulgado nesta quinta-feira (dia 10), Mato Grosso do Sul deve produzir 9,41 milhões de toneladas de milho na segunda safra deste ano. O volume é 53,7% superior aos 6,12 milhões de toneladas colhidos no ano passado e o maior de toda série histórica da Conab, iniciada em 1989.
 
Como já dizia, no século XVIII, Adam Smith, quanto maior a oferta menor é o preço do produto. Mas a economia está muito mais globalizada que na época do filósofo escocês. Assim, além da expressiva oferta, o valor do cereal é puxado para baixo pelo comportamento do mercado internacional e, de modo específico, pela cotação do dólar. Com o recuo da moeda norte-americana frente ao real, o grão é depreciado.
 
“A cotação do dólar abaixo de R$ 3,20 e os prêmios negativos já levam à paridade de exportação para abaixo de R$ 26,00 a saca de 60 quilos no Porto de Paranaguá”, informou a Conab.
 
De acordo com o site Agrolink, a cotação do milho (saca de 60 quilos), na média deste mês, está em R$ 15,94 em Mato Grosso do Sul. São quatro meses seguidos de retrações. O valor caiu mais da metade na comparação com o preço médio de agosto de 2016, quando a saca estava cotada em R$ 35,57 – o recuo é de 55%.
 
O valor médio da saca do milho neste mês é o menor para o período desde 2010, quando estava em R$ 13,11, de acordo com o histórico do Agrolink.
 
Entretanto, segundo a Conab, as perdas na safra norte-americana podem impulsionar a recuperação dos preços. “Como houve um forte período de estiagem em algumas localidades do Meio Oeste dos Estados Unidos, acredita-se que haverá perdas na produção de milho estadunidense, podendo quebrar essa barreira de cotação”, afirmou a companhia.
 
Baixa comercialização – A combinação de muito milho e preços baixos desacelerou a comercialização em Mato Grosso do Sul. Conforme o acompanhamento feito pela Granos Corretora, a colheita chega a 58,33%, acima dos 57,66% registrados em igual período do ano passado. No entanto, as vendas, neste ano, correspondem a 31,52% da produção, menos da metade (em valor relativo) da parcela da mesma época de 2016 (64,25%).
 
Conforme a Granos, a colheita será ainda maior que a estimada pela Conab. A corretora projeta produção de 9,72 milhões de toneladas. Do volume total, cerca de 5,67 milhões de toneladas do grão teriam sido colhidos – considerando os 58,33%, verificados pela Granos.
 
Se for contabilizada a comercialização apenas da parcela colhida, estaria no aguardo das vendas volume aproximado de 3,88 milhões de toneladas do grão. Essa quantidade – que seria ainda maior (pois não está sendo considerada a venda da parte não colhida) – equivale a mais da metade de todo milho do Estado da segunda safra do ano passado.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
"Direito Penal é instrumento de proteção de direitos humanos"
    
   
Carta Capital
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS