Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Esporte
08/03/2018 - 09:08
Novo denuncia escalação irregular e Costa Rica pode ser eliminado no tapetão
Foto: Divulgação
Correio do Estado
Depois de jogos com portões fechados e briga generalizada em clássico, o Estadual de Mato Grosso do Sul reservou mais uma emoção a seus torcedores às vésperas do início da fase de mata-mata que definirá o campeão. Eliminado da competição, o Novo protocolou na última terça-feira (6) denúncia contra o Costa Rica no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) por suposta escalação irregular de jogador.
 
Entre os efeitos colaterais, além da óbvia mudança na classificação que daria a vaga ao time da Capital e eliminaria o do interior, está o pedido do Novo para suspensão da primeira rodada do mata-mata, que aconterecrá no próximo final de semana, após a definição dos duelos com os dois jogos que ocorrem nesta quarta-feira (7): Operário x União ABC e Corumbaense x Urso.
 
De acordo com a denúncia do Novo, o lateral-direito Paulinho foi expulso ainda na semifinal do campeonato do ano passado, quando defendia o Operário, contra o Corumbaense.
 
O jogador cumpriu suspensão automática contra o Novo, no primeiro jogo da decisão do terceiro lugar. E foi relacionado para o duelo de volta. Com o fim da competição, foi julgado pelo TJD e pegou quatro jogos de suspensão.
 
Paulinho, então, transferiu-se para o Juventus de Santa Catarina no segundo semestre de 2017. Voltou esta temporada para o futebol local, no Costa Rica, onde atuou nas quatro primeiras partidas do clube, sem cumprir a pena. Acabou dispensado no dia 27 de fevereiro.
 
A punição é válida somente para partidas organizadas pela Federação de Futebol do Mato Grosso do Sul, segundo prevê o regulamento geral de competições da Confederação Brasileira de Futebol.
 
Caso punido, o Costa Rica perderia 12 pontos, de acordo com o que prevê o artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que prevê a aplicação da perda de três pontos por jogo onde ocorreu a irregularidade.
 
Com isso, o time do interior ficaria com pontuação negativa, -1, e na lanterna do Grupo A do Estadual, alçando o Novo ao mata-mata.
 
"Nosso departamento jurídico tem o hábito de olhar a situação dos atletas do campeonato, até pelo fato dos jogadores no Estado serem sempre os mesmos, e encontramos essa situação, em que me parece clara a infração", disse o presidente do Novo, Américo Ferreira.
 
Segundo ele, o pedido do adiamento dos jogos do mata-mata se torna necessário para que a situação seja esclarecida. "Tem que interromper o campeonato até que julgue a situação, para não haver uma acumulação ainda maior de erros", disse.
 
DEFESA
 
A notícia da suposta escalação irregular pegou todo o elenco, comissão técnica e diretoria do Costa Rica de surpresa. O presidente César Mignoli disse ao Portal Correio do Estado que aguardará o posicionamento da promotoria do TJD, mas que já trabalha na defesa.
 
"A gente tinha todo um planejamento, se isso ocorrer vai ficar complicado. Na hora de inscrever o jogador não nos comunicaram nada", disse o dirigente interiorano.
 
Na avaliação de Mignoli, caso aconteça a punição será mais um exemplo dos privilégios dados aos times da Capital. "Ano passado já ganhamos menos dinheiro, agora isso. O sistema funciona. E a gente sabe pra quem", disse.
 
A presidente do TJD-MS, Celina de Mello e Dantas Guimarães, disse que o pleno ainda não se posicionará enquanto não houver uma definição da promotoria, que pode ser encaminhada até sexta-feira (9), justamente para não atrapalhar a fase final.
 
Eliminado e iniciando o planejamento para a Série D, que começa em abril, o Novo retomou os trabalhos em caráter de urgência e até adiou dispensas de atletas que promoveria. Para Ferreira, caso haja a punição ao rival, o time tem condições de surpreender.
 
A empolgação tem motivo: depois de idas e vindas, o clube poderá ter liberado na próxima semana o Estádio Jacques da Luz, o Moreninhas, pelo Ministério Público Estadual, após a conclusão das obras exigidas pela promotoria e que foram pagas pelo clube junto da Prefeitura. "Vai ser a força para essa segunda fase. Assim que sair essa liberação vamos homologar na Federação a Moreninhas como nossa casa em definitivo", disse o presidente.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
A irmandade dos falsos cegos
    
   
Lincoln Secco
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS