Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Polícia
10/04/2018 - 12:59
Operação Cartola investiga resultados manipulados no futebol da Paraíba e cumpre mandados
Foto: Divulgação PC
G1
A Polícia Civil e o Ministério Público cumpriram 39 mandados de busca e apreensão nas cidades de João Pessoa, Bayeux, Cabedelo, Campina Grande e Cajazeiras na madrugada desta segunda-feira (9). A operação Cartola investiga uma organização criminosa por falsidade ideológica e manipulação de resultados no futebol profissional da Paraíba.
 
Segundo a Polícia Civil, 80 pessoas são investigadas no esquema. As investigações têm por objetivo apurar crimes cometidos por uma organização composta por membros da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Comissão Estadual de Arbitragem da Paraíba (CEAF), Tribunal de Justiça Desportiva da Paraíba (TJD/PB) e dirigentes de clubes de futebol profissional da Paraíba.
 
O presidente da FPF, Amadeu Rodrigues, disse que está à disposição da polícia. A Federação Paraibana de Futebol também emitiu uma nota oficial, afirmando que já havia disponibilizado, em março, a abertura dos sigilos bancários, telefônicos e fiscais, não só da FPF, como também do presidente. A instituição ainda ressaltou que, a partir da nova administração, os árbitros não são escolhidos, mas sorteados publicamente, antes das rodadas, com transmissão ao vivo e abertura para a imprensa e os desportistas presenciarem no local.
 
O presidente do Campinense, William Simões, disse que as portas do clube estão abertas para colaborar com investigações. A assessoria do Treze informou que a diretoria está reunida para dar posicionamento oficial. O presidente do conselho deliberativo do CSP, Josivaldo Alves, disse que a investigação é positiva e que o CSP não tem nada a temer. O Botafogo-PB afirmou que está à disposição das autoridades, colaborando com as investigações, e que acompanha com tranquilidade o desenrolar das investigações.
 
As equipes de monitoramento e vigilância da Polícia Civil analisaram centenas de documentos e realizaram diligências durante seis meses de investigações. O cumprimento de mandados contou com a atuação de 230 policiais civis.
 
De acordo com o advogado da FPF, Hilton Souto Maior, a operação foi iniciada a partir de informações falsas repassadas pelo vice-presidente da federação, que está em uma briga política com o atual presidente. Ainda de acordo com o advogado da FPF, o último balancete da federação foi aprovado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O vice-presidente Nosman Barreiro, em nota, informou que não é alvo da operação e foi um dos responsáveis pela denúncia.
 
De acordo com o Gaeco, foi possível identificar dois núcleos na organização criminosa com aproximadamente 80 membros identificados, sendo o primeiro núcleo, considerado o líder, formado por membros da FPF, CEAF e dirigentes de clubes de futebol profissional.
 
"Este núcleo é responsável pelas decisões mais importantes relacionadas ao meio do futebol paraibano e conta com uma sofisticada rede de proteção, elevado grau de articulação institucional", cita a nota enviada pelo Ministério Público.
 
O segundo núcleo é formado por membros executores ligados à CEAF (arbitragem), funcionários da FPF e de clubes de futebol, que atuam a mando do primeiro núcleo, ainda de acordo com o Ministério Público. Por conta do sigilo das investigações, os detalhes sobre o modo de atuação dos investigados, individualização das condutas e demais características da organização só vão ser divulgados posteriormente, após a conclusão da investigação.
 
Veja lista de investigados na Operação Cartola
 
AMADEU RODRIGUES - Presidente da FPF
ROSILENE DE ARAUJO GOMES - Ex-presidente da FPF
MARCOS SOUTO MAIOR (MARQUITO) - Advogado da FPF
JOSÉ RENATO (ZÉ RENATO) - Presidente da Comissão de Arbitragem
SEVERINO LEMOS (BINA) - Diretor de arbitragem da FPF
LIONALDO SANTOS - Presidente do Tribunal de Justiça Desportiva
ZEZINHO DO BOTAFOGO - Presidente do Botafogo-PB
GUILHERME CARVALHO (NOVINHO) - Vice-presidente do Botafogo-PB
BRENO MORAIS - Vice-presidente do Botafogo-PB
ALEXANDRE CAVALCANTI - Advogado e vice-presidente jurídico do Botafogo-PB
FRANCISCO SALES - Diretor do Botafogo
WILLIAM SIMÕES - Presidente do Campinense Clube
JUAREZ LOURENÇO - Presidente do Treze Futebol Clube
FABIO AZEVEDO - Dirigente do Treze
ALANKARDEC CAVALCANTI - Dirigente do Treze
JOSIVALDO GOMES - Presidente do CSP
RENAN ROBERTO - Árbitro de futebol da FPF
ADEILSON CARMO - Árbitro de futebol da FPF
JOSE MARIA DE LUCENA NETTO (NETO) - Árbitro de futebol da FPF
ANTONIO CARLOS DA ROCHA (MINEIRO) - Árbitro de futebol da FPF
JOÃO BOSCO SÁTIRO DA NOBREGA - Árbitro de futebol da FPF
ANTONIO UMBELINO - Árbitro de futebol da FPF
DIEGO ROBERTO - Árbitro de futebol da FPF
EDER CAXIAS - Árbitro de futebol da FPF
TARCISIO JOSE DE SOUZA (GALEGUINHO) - Árbitro de futebol da FPF
LUIS FILIPE - Árbitro de futebol da FPF
ÁDGUERRO XAVIER - Árbitro de futebol da FPF
JOSE ARAUJO DA PENHA (ARAUJO) - Funcionário da FPF
LUCAS ANDRADE - Funcionário da FPF
SONIA ANDRADE - Funcionária da FPF
BENEDITO DA PENHA MEDEIROS JUNIOR (BENINHA) - Filho de diretor do Botafogo-PB
 
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
A irmandade dos falsos cegos
    
   
Lincoln Secco
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS