Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Polícia
28/05/2018 - 13:16
Ministro do STF se reúne com PF e Exército para tratar da paralisação
Agência Brasil
O ministro do STF Alexandre de Moraes - Wilson Dias/Agência Brasil
O ministro do STF Alexandre de Moraes - Wilson Dias/Agência Brasil
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes deve se reunir hoje (28) com o comando da Polícia Federal (PF), do Exército e com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, para tratar da liminar que autorizou o desbloqueio, com uso de força policial, das rodovias do país, paralisadas pelo movimento nacional de caminhoneiros.
 
O ministro do STF Alexandre de Moraes entrega aos presidentes do Senado, Eunício Oliveira, e da Câmara, Rodrigo Maia, o anteprojeto de lei sobre o combate ao tráfico de drogas, armas e lavagem de dinheiro, em reunião na Câmara.
 
O ministro do STF Alexandre de Moraes - Wilson Dias/Agência Brasil
Às 16h, Alexandre de Moraes vai receber, em seu gabinete, o diretor-geral da Polícia Federal Rogério Galloro. Em seguida, às 17h30, a reunião será com o comandante do Exército, general Villas Boas e, às 19h, com o ministro Raul Jungmann.
 
Na liminar proferida na sexta-feira (25), o ministro do STF entendeu que o movimento dos caminhoneiros abusou de seus direitos constitucionais e provocou "efeito desproporcional e intolerável" no país.
 
"O quadro fático revela com nitidez um cenário em que o abuso no exercício dos direitos constitucionais de reunião e greve acarretou um efeito desproporcional e intolerável sobre todo o restante da sociedade, que depende do pleno funcionamento das cadeias de distribuição de produtos e serviços para a manutenção dos aspectos mais essenciais e básicos da vida social", afirmou o ministro.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
Crise levou chefes de família ao desalento’, diz economista
    
   
Lincoln Secco
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS