www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Polícia
12/06/2018 - 08:34
Agente penitenciário é preso durante operação contra o PCC deflagrada pelo Gaeco
Foto: Reprodução
Midiamax
Um agente penitenciário lotado na casa do Albergado, na Vila Sobrinho, em Campo Grande, foi detido na manhã desta terça-feira (12) durante a Operação Paiol, deflagrada pelo Gaeco para combater as ações do PCC no Estado.
 
Ele foi preso em sua casa por policiais do Batalhão de Choque e levado para a Depac Piratininga. O nome do servidor não foi revelado.
 
Outro homem, que também não teve a identidade revelada, também foi preso durante a operação, que cumpre mandados de busca e apreensão e de prisão em três cidades de Mato Grosso.
A mulher do ‘Tio Arantes’ considerado um dos líderes do PCC (Primeiro Comando da Capital), também foi levada para a delegacia, mas em um carro descaracterizado. São cumpridos mandados em Campo Grande, Corumbá e Nova Andradina, como também no estado de Goiás.
 
A Operação Paiol foi deflagrada em combate à facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).
 
‘Tio Arantes’ 
   
Considerado um dos líderes do PCC (Primeiro Comando da Capital) e um dos líderes da rebelião na Penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande, em 2006, ‘Tio Arantes’ como é conhecido José Cláudio Arantes. Ele foi preso em outubro de 2017 pela suposta explosão de caixas eletrônicos de uma agência bancária, no Parque de Exposições Laucídio Coelho.
 
José Cláudio Arantes é um dos condenados pela morte do advogado William Maksoud Filho, em 2006. No mesmo ano, logo após ser preso pelo crime, foi o responsável por liderar a rebelião na Penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande. A rebelião começou em São Paulo, chegou a MS e se espalhou por quatro cidades do Estado, Corumbá, Dourados, Três Lagoas e na Capital.
 
 
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
A irmandade dos falsos cegos
    
   
Por Benedicto Ismael Camargo Dutra

    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS