www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Política
16/08/2018 - 09:05
Eleição teve desistências ao governo, senado e também para deputados
CGrandenews
A eleição de Mato Grosso do Sul também vai ficar marcada pro algumas desistências de políticos tanto na fase de articulação das alianças, com novidades nas convenções e até nos últimos dias para registrar a candidatura. Para disputa ao MDB mudou duas vezes de candidato, enquanto que o PDT perdeu dois postulantes ao Senado.
 
Na sucessão estadual, o primeiro a desistir foi o ex-governador André Puccinelli (MDB), que foi preso no dia 20 de julho em função da Operação Lama Asfáltica. Ele tentou ainda manter a candidatura com a esperança de habeas corpus no TRF 3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) e STJ (Superior Tribunal de Justiça), no entanto com as negativas, resolveu sair do páreo.
 
O MDB ainda teve a saída da senadora Simone Tebet (MDB) faltando três dias para o registro das candidaturas. Ela desistiu da disputa ao governo alegando motivo particulares. Para o seu lugar ficou o deputado estadual Junior Mochi (MDB), atual presidente da Assembleia, que inclusive foi o último a confirmar presença neste pleito.
 
Na disputa ao Senado, o primeiro a desistir foi o ex-presidente da Acrissul (Associação de Criadores de Mato Grosso do Sul), Francisco Maia, que estava na chapa de Odilon de Oliveira (PDT). O juiz aposentando ainda sofreu uma baixa importante no último dia de registros (candidaturas), com a saída de Pedro Chaves (PRB), que alegou que houve uma “quebra de acordo” dentro da coligação.
 
Deputados - Na corrida para a Câmara Federal, a saída de maior impacto foi de Luiz Henrique Mandetta (DEM), que desistiu da reeleição. Ele ficou insatisfeito com a coligação feita por seu partido na proporcional , ao classificar a chapa como “mal calibrada”. Desde o início o parlamentar não era favorável a aliança com os tucanos.
 
Para Assembleia Legislativa, a deputada Grazielle Machado (PSD) abriu mão da reeleição, que vai contar com o retorno de Londres Machado (PSD). Já Antonieta Amorim (MDB) não registrou sua candidatura para o legislativo. Alguns vereadores que tinham o interesse de disputar o pleito, também desistiram: Epaminondas Vicente, o Papy (SD), Junior Longo (PSB) e Willian Macksoud (PMN).
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
A irmandade dos falsos cegos
    
   
Por Benedicto Ismael Camargo Dutra

    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS