Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Polícia
06/09/2018 - 13:00
Juiz dá liberdade a pistoleiro suspeito de matar policial em MS
Foto: Reprodução
CGrandenews
Acusado de chefiar os sicários (matadores profissionais) que agem na Linha Internacional entre o Paraguai e Mato Grosso do Sul, Marcio Ariel Sánchez Giménez, 29, o “Aguacate”, ganhou liberdade duas semanas após ser preso em Capitán Bado, cidade paraguaia vizinha de Coronel Sapucaia (MS), a 400 km de Campo Grande.
 
A liberdade foi determinada pelo juiz Martín Areco a pedido dos advogados de defesa de Aguacate (abacate, em português), depois que a testemunha de um dos crimes atribuídos ao pistoleiro não compareceu para depor.
 
À rádio Império, o promotor de Justiça Leonardo Cáceres disse que a testemunha está trabalhando em São Paulo (SP), ficando impedida de dar seu depoimento sobre o assassinado do vereador de Capitán Bado Cristóbal Machado, ocorrido em março deste ano.
 
Preso dois dias após o crime, o pistoleiro que executou o vereador disse que tinha sido contratado por Aguacate para cometer o crime. Ele nega.
 
Na semana passada, a transferência de Aguacate do presídio de Pedro Juan Caballero para a Comisaria da Polícia Nacional em Capitán Bado gerou crise entre o Judiciário, autoridades do Departamento de Amambay e policiais paraguaios, que temiam a fuga do suspeito, já que a delegacia não possui estrutura.
 
Entre os crimes atribuídos a Aguacate está a execução do policial civil Wescley Vasconcelos, 37, no dia 6 de março deste ano em Ponta Porã. O bandido é apontado como chefe de um grupo de “sicários”, como são chamados os matadores profissionais no Paraguai.
 
Aguacate é ligado a um dos novos chefões do crime organizado na Linha Internacional, Sérgio Quintiliano Neto o Minotauro. Até 2016, ele era segurança do traficante Jorge Rafaat Toumani, morto em junho daquele ano.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
A irmandade dos falsos cegos
    
   
Por Benedicto Ismael Camargo Dutra

    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS