www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Política
17/09/2018 - 06:09
Prisões temporárias vencem e 13 alvos de operação da PF são liberados
Foto: Divulgação
CGrandenews
Sem a prorrogação da prisão temporária de 5 dias, foram soltos neste domingo 13 presos na operação Vostok, realizada na semana passada pela Polícia Federal. A ordem de soltura veio do mesmo ministro que ordenou as prisões, Felix Fisher, segundo informaram as defesas dos envolvidos ao Campo Grande News.
 
Dos 14 alvos da operação, só o corretor José Carlos Guitti Guimaro não se apresentou. A promessa é que isso ocorresse entre hoje e amanã, em Brasília, como afirmou o advogado dele, José Roberto da Rosa.
Entre os presos pela Polícia Federal, estava o deputado estadual Zé Teixeira (DEM), o ex-prefeito de Porto Murtinho, Nelson Cintra, e o filho do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), o advogado Rodrigo Sousa e Silva, além de pecuaristas e empresários. Os presos estavam espalhados pelo presídio militar e em delegacias de Polícia Civil de Campo Grande.
 
Deflagrada na quarta-feira, 12 de setembro, a Vostok cumpriu 41 mandados de busca e apreensão e 13 de prisão temporária, como parte das investigações de um esquema que teria concedido créditos irregulares à empresa JBS, controlada pela J&F, dos empresários Joesley e Wesley Batista.
 
A investigação - A Vostok teve início com a delação premiada dos irmão que apontaram a existência de um esquema de pagamentos por meio de notas frias destinadas ao atual governador, valendo-se de Tares (Termos de Acordo de Regime Especial). O sistema teria surgido na gestão do ex-governador Zeca do PT, sendo mantido nas de André Puccinelli (MDB) e de Azambuja.
 
Mais de 220 policiais foram mobilizados para cumprir os mandados, na semana passada. A operação decorre de inquérito no STJ (Superior Tribunal de Justiça) sobre as denúncias da J&F de troca de incentivos fiscais por propinas em Mato Grosso do Sul.
 
Segundo despacho do ministro Felix Fisher, ao qual o Campo Grande News teve o acesso, o Ministério Público Federal aponta um esquema de pagamentos de propinas da empresa do ramo frigorífico a políticos era dividido em três núcleos e rendeu lucro de ao menos R$ 67.791.309 aos denunciados. As fraudes teriam somado prejuízo de R$ 209 milhões ao Estado entre 2014 e 2016.
 
A Operação Vostok apurou ainda que as fraudes causaram prejuízo de R$ 209 milhões aos cofres estaduais, entre 2014 e 2016.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player



   
A rebelião dos juízes
    
   
Por Gerson Camarotti
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS