Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Política
03/10/2018 - 07:04
Mesmo sem "férias", 14 deputados faltam e nada é votado na Assembleia
Foto: Luciana Nassar/ALMS/Arquivo.
CampoGrandeNews
Assembléia Legislativa
Assembléia Legislativa
Na primeira sessão da última semana antes da eleição, os deputados estaduais de Mato Grosso do Sul, a maioria candidato à reeleição, não votaram nenhum projeto de lei nesta terça-feira (dia 2). Dos 24, só 10 compareceram à sessão, mesmo após a polêmica em torno da tentativa de estabelecer uma espécie de férias no período pré-votação.
 
As sessões começam por volta das 9 horas, conforme previsto em regimento e, no momento da ordem do dia, quando os parlamentares votam projetos de leis, havia somente sete deputados estaduais: Antonieta Amorim (MDB), Mara Caseiro (PSDB), Paulo Siufi (MDB), Pedro Kemp e Cabo Almi, ambos do PT, Maurício Picarelli (PSDB) e Herculano Borges (SD).
 
No começo da sessão chegou Márcio Fernandes (MDB). Depois da votação, apareceram Rinaldo Modesto (PSDB), Zé Teixeira (DEM) e Felipe Orro (PSDB).
 
Além da quantidade de parlamentares presentes ser insuficiente para votação, não havia na pauta qualquer projeto. O episódio ocorre dias depois em que os deputados desistiram da "férias" para se dedicarem a campanha. O episódio ganhou repercussão negativo no eleitorado.
 
Dos 24 deputados, 19 tentam se reeleger nos cargos, portanto, têm agendas de campanha. Os parlamentares Beto Pereira (PSDB) e George Takimoto (MDB) tentam vagas de deputado federal e Grazielle Machado (PSDB) e Antonieta Amorim (MDB) desistiram da reeleição.
 
O presidente da Casa de Leis, deputado Junior Mochi (MDB), disputa o cargo de governador. Apesar de constar na agenda de campanha a ida à Assembleia, ele não estava no plenário, no momento da Ordem do Dia.
 
Quem sugeriu que os parlamentares cancelassem as três últimas sessões antes do pleito foi o deputado Paulo Corrêa (PSDB). A ideia era que os parlamentares se dedicassem exclusivamente à campanha.
 
O presidente, na ocasião, até disse que a medida poderia ser feita, mas que então os deputados fizessem uma “força-tarefa” para antecipar votações importantes.
 
Contudo, Corrêa voltou atrás e retirou a sugestão, afirmando que estava havendo má interpretação em torno do cancelamento das sessões. Nos bastidores, a informação é de que os deputados avaliaram que a situação geraria desgaste político.
 
A conclusão dos parlamentares foi de que, quem quisesse cumprir o trabalho, compareceria às sessões e os que precisassem faltar, poderiam, desde que apresentasse justificativa.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
A irmandade dos falsos cegos
    
   
Por Benedicto Ismael Camargo Dutra

    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS