www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Política
07/10/2018 - 07:21
Em MS, 1,8 milhão vão às urnas; veja o que você precisa saber sobre o domingo de votação
Midiamax
Neste domingo (7), 1.877.982 (um milhão, oitocentos e setenta e sete mil e novecentos e oitenta e dois) eleitores estão aptos a votar em Mato Grosso do Sul. O voto é obrigatório para os cidadãos de 18 a 70 anos. É facultativo para analfabetos, para jovens entre 16 e 17 anos e para quem tem mais de 70 anos.
 
Nesta eleição, o TRE-MS (Tribunal Regional eleitoral) alerta que a eleição deste ano terá algumas novidades em relação ao último pleito geral, realizado em 2014. Dentre as mudanças estão a nova ordem de votação, a escolha dois candidatos a senador e o uso da biometria em Campo Grande no momento de identificação do eleitor.
 
No Estado, 486 candidatos estão na disputa aos cargos de deputado federal, deputado estadual, dois senadores, governador e presidente da República. Ainda tem os 26 suplentes de senadores, 6 vices ao governo, e 13 vices dos postulantes ao Planalto, chegando a um total de 531 candidaturas registradas nas urnas.
 
São 6.853 seções eleitorais distribuídas nos 79 municípios sul-mato-grossenses. Em Campo Grande, há 2.267 urnas de votação e 179 urnas de reserva, de acordo com o TRE-MS.
 
Confira abaixo algumas regras a serem seguidas para não ter problemas quando for votar. Para informações com mais detalhes, basta clicar sobre os links.
 
Horário
 
O primeiro turno das eleições 2018 será realizado neste domingo, dia 7 de outubro. Os eleitores deverão comparecer aos locais de votação entre as 8h e as 17h (horário de Mato Grosso do Sul).
 
Votação
 
O eleitor vai escolher seis candidatos ao todo – primeiro um deputado federal. Depois, um estadual. Em seguida, dois candidatos ao Senado, um ao Governo do Estado e o último, para a Presidência da República.
 
O TRE-MS disponibiliza uma “colinha” para a anotação dos números. Para imprimir, clique aqui.
 
Documentos
É preciso levar um documento oficial de identificação com foto. Pode ser carteira de identidade, de trabalho, de motorista, certificado de reservista, passaporte ou carteira de categoria profissional reconhecida por Lei. Levar o título de eleitor é recomendável, mas não obrigatório (mesmo quem perdeu o título pode votar).
 
A novidade destas eleições é o chamado e-título (saiba mais aqui), um aplicativo para celulares e tablets desenvolvido pelo TSE. Se o eleitor já tiver feito o cadastramento biométrico, a versão do e-título virá acompanhada da foto do eleitor, não sendo necessário levar nenhum outro documento na hora de votar.
 
Roupa
 
O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) liberou o uso de camisetas de candidatos pelos eleitores nos locais de votação. Quem for votar poderá usar camiseta com nome de seu candidato preferido, mas como forma de manifestação individual, sem fazer propaganda eleitoral a favor dele.
 
Está proibida a aglomeração de pessoas com vestuário padronizado, além de manifestações coletivas e ruidosas e qualquer tipo de abordagem, aliciamento ou persuasão de eleitores. A camiseta não pode ser distribuída pelo candidato.
 
Local de votação
 
O TRE-MS também chama a atenção para as mudanças de local de votação e pede que o eleitor confira com antecedência o endereço do lugar onde irá votar.
 
O site do TRE-MS traz, neste período eleitoral, um local específico para a consulta da seção e do endereço do local de votação. A pesquisa é realizada a partir do fornecimento do nome ou do número do título de eleitor, data de nascimento e nome da mãe, se houver. Para acessar, clique aqui.
 
Biometria
 
Em Campo Grande, o uso da biometria também será uma novidade. O cadastro foi obrigatório e quem não fez não poderá votar nestas eleições. O leitor biométrico acoplado à urna eletrônica deve confirmar a identidade de cada eleitor, comparando o dado fornecido (impressões digitais) com todo o banco de dados disponível.
 
Justificativa
 
Quem estiver fora do domicílio eleitoral no dia da eleição e não votar tem que justificar a ausência. É preciso preencher requerimento disponível em locais de votação e site do TSE e tribunais regionais eleitorais. No dia da eleição, o eleitor deve entregar o requerimento em qualquer local de votação ou em pontos de justificativa.
 
Voto em trânsito
O eleitor que estiver fora do domicílio eleitoral no dia 7 de outubro pode votar apenas para presidente da República nas capitais e nos municípios com mais de 100 mil eleitores, desde que tenha se habilitado para isso dentro do prazo, encerrado em agosto. Mais de 500 mil brasileiros que vivem no exterior poderão votar em 171 cidades fora do país.
 
Lei Seca
 
No Estado, será possível consumir bebidas alcoólicas em locais públicos apenas em restaurantes na hora do almoço, entre 11h30 e 14h30. A lei estabelece apenas que o eleitor não fique embriagado durante o dia de votação, para que a ordem pública seja mantida.
 
 
O que não fazer
 
É proibido distribuir santinhos na seção eleitoral, mas é permitido o uso de peças de vestuário, acessórios (bonés, fitas, broches, bandanas), bem como o porte de bandeira. A manifestação do eleitor nos locais de votação deve ser “individual e silenciosa”, diz a lei.
 
É proibido levar telefone celular ou câmera fotográfica para a cabine de votação.
 
Neste domingo, são proibidos comícios e carreatas, propaganda de boca de urna e uso de alto-falantes e amplificadores de som. E, até o término do horário de votação, são proibidas aglomerações de pessoas com roupa padronizada e propaganda, com ou sem uso de veículos.
 
Tanto a compra como a venda de votos são crimes eleitorais, puníveis por até 4 anos e pagamento de multa. Além disso, o candidato pode ter o registro ou o diploma cassados.
 
*Com informações e ilustrações da Agência Senado
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
A irmandade dos falsos cegos
    
   
Por Benedicto Ismael Camargo Dutra

    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS