www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Política
22/11/2018 - 20:19
Duas cidades de MS vão ficar sem médicos na saúde básica com saída de cubanos
Foto: José Cruz/Agência Brasil
Midiamax
As cidades de Alcinópolis e Figueirão vão ficar sem médicos na saúde básica com a saída dos profissionais cubanos do programa Mais Médicos. O levantamento foi feito pelo Conasemns (Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde) que apontou que pelo menos 285 cidades em 19 estados do Brasil deverão ficar sem médicos para a atenção básica de saúde.
 
A estimativa do conselho levou em conta os seguintes critérios: Considerando os municípios que têm apenas uma Equipe de Saúde da Família (ESF); A equipe precisa ser participante do Mais Médicos; O médico dessa Equipe de Saúde era cubano.
 
A atenção básica é a rede de atendimento que pode ser apontada como entrada no SUS (Sistema Único de Saúde). Ela abrange prevenção, diagnóstico, tratamento, reabilitação, redução de danos e manutenção de saúde. O trabalho é realizado, principalmente, em UBS (Unidades Básicas de Saúde).
 
Cada equipe de Saúde da Família conta com apenas um médico, mas também tem outros profissionais de saúde como enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes comunitários de saúde. Os médicos vindos de Cuba atuavam nessas equipes e poderiam ficar responsáveis por até 4 mil habitantes.
 
Sem médico
 
Ao Jornal Midiamax, o secretário de saúde de Figueirão, André Targin, confirmou que a médica cubana que trabalhava na saúde básica na cidade foi embora nesta quinta-feira (22), onde seguiu para Campo Grande e pegaria voo para São Paulo.
 
A solução, conforme ele, foi encaminhar os pacientes da saúde básica das UBSs para os hospitais e encaminhar os médicos da unidade para atende-los enquanto aguardam o encaminhamento de novos médicos do programa no dia 3 de dezembro.
 
“Se for demorar, se não for encaminhar no dia 3, teremos de contratar um profissional”, explicou o André a reportagem.
 
A prefeitura de Alcinópolis foi contata, mas prefeito e nem secretária de saúde estavam disponíveis.
 
Novos médicos
 
Para repor a saída dos médicos cubanos do Mais Médicos, o governo federal abriu inscrições para 8,5 mil profissionais. O anúncio foi feito na terça-feira (20) e, nesta quinta-feira (22), o Ministério da Saúde anunciou que inscrições foram prorrogadas devido à alta procura no sistema, que causo instabilidade no site. Desta forma, inscrições devem ir até domingo (25).
 
São 8,5 mil vagas no país e destas 115 são em MS, sendo 104 para municípios e 11 vagas para DSEIs (Distritos Sanitários Especiais Indígenas). Para mais informações,confira o edital.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
Previdência: reforma corta pensão por morte pela metade e prejudica os cônjuges
    
   
Reforma da Previdência:
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS