www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Política
04/12/2018 - 15:43
De carona no STF, MPMS aumenta salário de procurador para R$ 35,4 mil
Foto: Reprodução
CGrandenews
A partir de janeiro, procuradores do Ministério Público de Mato Grosso do Sul terão salário de R$ 35.462,22, o teto para o órgão fiscal da lei. O inicial oferecido para membros do MPMS é de R$ 23 mil. O aumento foi oficializado em publicação do Diário Oficial desta terça-feira (4). 
 
O reajuste veio depois que o Senado aprovou e o presidente Michel Temer (MDB) aprovou aumento da remuneração dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) para R$ 39.293,32.
O acréscimo, que vale a partir de 1º de dezembro, também leva em consideração, segundo a publicação do MPMS, também levam em consideração a “Lei nº 13.753, de 26 de novembro de 2018, no DOU de 27 de novembro de 2018, fixando o subsídio mensal do Procurador-Geral da República em R$ 39.293,32”.
 
Conforme edital de concursos que abriu 10 vagas para promotor de Justiça em dezembro de 2017, o salário inicial dos membros do MPMS é de R$ 23.512,65.
 
Supersalários - O pagamento de altos salários para promotores e procuradores colocou o MPMS na mira do Conselho Nacional do Ministério Público em abril do ano passado. Uma investigação foi aberta para verificar o desrespeito ao teto constitucional entre 2011 e 2016.
 
O Campo Grande News apurou, em janeiro do ano passado, que dos 206 procuradores e promotores do MPMS, 34 (16%) receberam remuneração acima de R$ 33.763, equivalente ao salário de um ministro do STF, o teto do funcionalismo público. Outros 35 membros do Ministério Público, órgão fiscal da lei, tiveram remuneração total exatamente no valor do teto.
 
Conforme consulta ao Portal da Transparência, a maior remuneração no mês de outubro de 2016 foi de R$ 56.243,66 para um promotor de Justiça de Campo Grande. O valor resulta da soma do salário de R$ 28.947,55 com R$ 22.480 de remuneração eventual ou básica, sendo R$ 19 mil de férias e R$ 3.184 de abono de permanência.
 
O segundo colocado no ranking de pagamentos foi um procurador de Justiça, que teve total de rendimentos brutos (sem descontos) de R$ 54.075,04. Os créditos foram do salário de R$ 30.471,11, mais R$ 3.291,39 por função de confiança ou cargo em comissão e R$ 20.312 de férias.
 
São justamente os “por fora” – gratificações, verbas indenizatórias, diárias – que garantem os ganhos acima do teto constitucional.
 
Por mês, o Ministério Público gasta ao menos R$ 11 milhões com o pagamento dos funcionários.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
A rebelião dos juízes
    
   
Por Gerson Camarotti
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS