www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Geral
07/01/2019 - 06:15
MS registrou cinco mortes por raio em 2018; confira cuidados durante tempestades
Foto: Reprodução
Top Mídia News
Apesar do calor de verão, dezembro e janeiro são meses com alto índice de chuvas, principalmente com trovoadas e rajadas de vento, por isso os cuidados precisam ser redobrado com raios. Só na primeira quinzena do mês de dezembro duas mortes foram registradas em Mato Grosso do Sul.
 
Uma jovem de 15 anos foi atingida por um raio na zona rural de Amambai. A menina estava na varanda da casa onde morava em companhia do marido. O casal foi pego pela descarga elétrica. O homem nada sofreu.
 
O outro caso aconteceu em Rio Brilhante, um idoso de 65 anos, que estava em companhia de um homem na carroceria de uma picape, quando o tempo mudou e ele acabou atingido por um raio.
 
Em entrevista ao TopMídiaNews, Franciane Rodrigues, Coordenadora do CEMTEC/MS (Centro de Monitoramento do Tempo e Clima do MS), informou que o Estado tem algumas áreas de maior atuação de raios.
 
“Tudo depende das estações do ano, mas considerando uma anualmente, as maiores concentrações de raios se concentram nas regiões sudoeste e sul de MS”, comenta a coordenadora.
 
Sobre o registro de mortes por esta causa no Estado, Franciane comenta que, em média, 300 pessoas são atingidas anualmente.
 
"Segundo o INPE, que é o órgão responsável pelo monitoramento de raios no Brasil, em média 300 pessoas são atingidas por raios ao ano. Aqui no MS, em 2018, cinco mortes foram mencionadas via imprensa que acompanhamos. Aqui no CEMTEC emitimos seis laudos referentes a raios no ano de 2018, sendo três em Campo Grande e as outros três no interior, esses provocados por prejuízos”, analisa a física.
 
A coordenadora do CEMTEC ressalta que, quando se trata de tempestades com raios, todo cuidado ainda é pouco, e que os locais de maiores riscos são topos de prédios e morros, árvores isoladas, campos abertos e proximidades de cercas e arames. Também é bom evitar o uso de aparelhos eletrônicos.
 
“Quando um raio toca o solo sua energia se propaga dissipa pelo chão. Esse é um dos motivos que se recomenda também a não utilização de aparelhos eletrônicos que estão conectados na rede elétrica. Esses locais são suscetíveis aos raios e sua propagação”, finaliza.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
O regime de capitalização
    
   
Daud
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS