www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Geral
12/01/2019 - 07:02
Com extensa lista de irregularidade, Havan é autuada pelo Procon-MS
Foto: Divulgação
Midiamax
Uma das unidades da loja Havan em Campo Grande foi autuada na última quinta-feira (10) pelo Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor) por uma extensa lista de irregularidades que, de acordo com o Procon-MS, trazem prejuízos ao consumidor.
 
A fiscalização foi motivada por reclamações de consumidores. Entre os principais problemas detectados, estão a exposição de produtos para venda sem informação de preços, indisponibilidade de itens divulgados nos folhetos publicitários, diferença de preços entre os fixados nos produtos e os cobrados nos caixas e, ainda, mercadorias expostas com avarias ou faltando peças sem qualquer comunicação ao consumidor.
 
Neste universo, brinquedos e alimentos são os produtos mais afetados, conforme o Procon-MS. Em relação à falta de preços, estavam itens como bichinhos de pelúcia, bonecas de pano, almofadas para pescoço, apontador de lápis com depósito, réguas, cola com brilho, chocolates em barras, salgadinhos e balas.
 
Já em relação a ausência do produto em estoque, estavam brinquedos como carrinhos resgate, jogos de videogame e materiais escolares. Produtos como garrafas térmicas e massa de modelar tinham preços diferentes nas gôndolas e nos caixas, com diferenças de até 20 reais.
 
Por fim, o Procon-MS também identificou produtos avariados à venda, sem aviso prévio às pessoas, entre os quais estavam itens para cozinha e alguns brinquedos. De acordo com o órgão, será aberto prazo para manifestação da empresa e, após isso, poderá ser aplicada uma sanção administrativa que varia de R$ 5 mil a R$ 50 mil.
 
A reportagem entrou em contato com a Havan e foi informada que só fará posicionamento no processo.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
   
Previdência: reforma corta pensão por morte pela metade e prejudica os cônjuges
    
   
Reforma da Previdência:
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS