www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Política
05/09/2019 - 16:45
Planalto omite da agenda oficial encontro de Bolsonaro com Augusto Aras no último sábado
Foto: Reprodução
O Globo
O Palácio do Planalto escondeu da agenda oficial do presidente Jair Bolsonaro um encontro dele com o subprocurador-geral da República Augusto Aras na tarde do último sábado, no Palácio da Alvorada. Candidato ao comando da Procuradoria-Geral da República ( PGR ), ele foi acompanhado pelo ex-deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF), que é amigo de Bolsonaro e o apresentou a Aras.
 
Questionada pelo GLOBO na tarde desta terça, a Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) da Presidência enviou nota às 22h08 informando apenas que "não há registro sobre o referido encontro na agenda do senhor presidente no último sábado". Mas a redação do comunicado não aponta se o encontro ocorreu, como perguntou a reportagem. Também ficou sem resposta até o momento a indagação sobre por que a visita foi omitida da agenda.
 
Fraga chegou à residência oficial do presidente dirigindo o próprio carro acompanhado de Aras, no banco do carona, por volta das 15h30. Eles se reuniram com o presidente por cerca de uma hora e meia. De acordo com um interlocutor do subprocurador, a conversa serviu para esclarecer sua suposta ligação com a esquerda, rechaçada por Bolsonaro, e o recolocou no páreo.
 
No Planalto, as chances de Aras são consideradas remotas pelo entorno do ministro Jorge Oliveira, da Secretaria-Geral da Presidência, um dos principais conselheiros do presidente para a escolha.
 
Uma resolução em vigor da Comissão de Ética Pública da Presidência determina que "compromissos realizados sem prévio agendamento e as alterações ocorridas nos compromissos previamente agendados, inclusive as relativas aos assuntos tratados, deverão ser registrados na agenda de compromissos públicos em até dois dias úteis após a sua realização".
 
Até as 23h desta terça, a agenda de Bolsonaro no sábado registrava apenas dois compromissos, ambos em Brasília: às 10h, ele assistiu a um evento de hipismo, e, às 19h10, recebeu o ministro da Defesa, Fernando Azevedo. Nesse meio-tempo, ele almoçou no Quartel-General do Exército, onde conversou com jornalistas por mais de uma hora.
 
Na manhã desta terça, Bolsonaro comparou o governo a um jogo de xadrez e afirmou que a dama (ou rainha) corresponde à PGR. O rei seria o presidente, enquanto os peões seriam a maioria dos ministros, com exceção de Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) e Paulo Guedes (Economia), comparados à torre e ao cavalo, respectivamente. A rainha é a peça mais poderosa do xadrez, por poder se movimentar para todos os lados. O rei, por outro lado, é mais importante, porque perdê-lo significa ser derrotado no jogo.
 
Apesar de Bolsonaro tratar a Procuradoria-Geral como parte do governo, o Ministério Público tem independência. O procurador-geral é indicado pelo presidente e precisa ser aprovado pelo Senado, e tem um mandato de dois anos.
 
Na semana passada, Bolsonaro havia dito que está em dúvida entre três nomes para decidir sua indicação para a PGR. O prazo do mandato da atual procuradora-geral, Raquel Dodge, termina no dia 17 de setembro. O presidente já disse que não tem data para escolher o nome e que pode manter o subprocurador-geral Alcides Martins como interino no cargo.
 
Candidatura de Aras
 
No início do mês passado, o nome de Aras ganhou força na disputa, após encontros com Bolsonaro intermediados por Fraga. O subprocurador passou a enfrentar a oposição dos integrantes das forças-tarefas da Operação Lava-Jato.
 
Em contato com representantes do governo, os procuradores reforçaram a defesa do respeito à lista tríplice da Associação Nacional de Procuradores da República (ANPR), votação da qual Aras se recusou a participar e que resultou na escolha de três nomes de preferência da categoria: Mário Bonsaglia, Luiza Frischeisen e Blal Dalloul.
 
No dia 24 de julho, Aras esteve no Alvorada, mas o encontro só foi revelado na noite seguinte, pela TV Globo. E só foi incluído na agenda oficial do presidente 48 horas depois de acontecer.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
   
Previdência: reforma corta pensão por morte pela metade e prejudica os cônjuges
    
   
Reforma da Previdência:
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS