www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Política
17/10/2019 - 08:20
Eduardo Bolsonaro ou Delegado Waldir? Entenda as reviravoltas na liderança do PSL
Em uma noite de reviravoltas, a liderança do PSL na Câmara mudou de mão pelo menos três vezes. As mudanças fazem parte da queda de braço entre o presidente Jair Bolsonaro, que tenta emplacar seu filho Eduardo como líder, e o comandante da sigla, o deputado Luciano Bivar (PE), que procura manter Delegado Waldir (GO) na função. Atendendo a apelo de Bolsonaro, deputados apresentaram um abaixo-assinado destituindo o parlamentar goiano da liderança. Nova lista foi apresentada para tirar o filho do presidente do cargo. Um terceiro pedido foi protocolado contra Waldir. Ficou difícil entender o que está acontecendo. Por isso, o Congresso em Foco explica:
 
 Em meio à troca de acusações, o Delegado Waldir convocou uma coletiva de imprensa para anunciar que o presidente Jair Bolsonaro estava ligando para parlamentares para conquistar votos em favor do filho, Eduardo. Procurado pela reportagem, o deputado paulista não se pronunciou.
 
Minutos depois, o filho do presidente apareceu no Salão Verde, ao lado de Vitor Hugo (GO), Bia Kicis (DF), Carla Zambelli (SP) e outros deputados da ala bolsonarista do partido, anunciando que haviam acabado de protocolar um documento com 27 assinaturas para destituir Delegado Waldir da liderança da bancada. Eduardo, então, era o novo líder.
 
- Durou pouco. Alguns minutos depois, a ala bivarista do PSL protocolou um documento com 32 assinaturas apoiando Waldir e destituindo Eduardo Bolsonaro.
 
- Durou menos ainda, pois logo na sequência, como o Congresso em Foco mostrou em primeira mão, o grupo pró-Bolsonaro apresentou outro abaixo-assinado com 27 nomes, apoiando novamente Eduardo, e afastando Waldir.
 
Mesa Diretora
 
Segundo a interpretação dos deputados mais ligados ao presidente da República, o que vale é o último documento protocolado e não a quantidade de assinaturas. Esse entendimento, porém, não é unânime.
 
O impasse deve ser resolvido pela Mesa Diretora da Câmara, da qual faz parte o presidente do partido, Luciano Bivar, interessado direto no assunto. Além de Bivar, que é o 2º vice-presidente, também compõem a Mesa o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Marcos Pereira (Republicanos-SP), Soraya Santos (PL-RJ),  1ª secretária,  Mário Heringer (PDT-MG), 2º secretário, Fábio Faria (PSD-RN), 3º secretário, e André Fufuca (PP-MA), 4º secretário.
 
Outro elemento pode tornar o impasse ainda maior. Um deputado aliado de Bolsonaro contou à reportagem que conseguiu fazer com que alguns parlamentares que haviam apoiado as duas listas, ou seja, tanto a indicação de Eduardo quanto a de Waldir para a liderança, assinassem um terceiro documento em favor do filho do presidente. Nesse cenário, segundo ele, o deputado paulista voltaria a ter apoio maior que o do colega goiano.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 


   
Previdência: reforma corta pensão por morte pela metade e prejudica os cônjuges
    
   
Reforma da Previdência:
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS