www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Política
14/09/2020 - 15:38
Reinaldo Azambuja decretará situação de emergência em MS devido os incêndios florestais e estiagem
Foto: Reprodução CB
O governador Reinaldo Azambuja assina, na manhã desta segunda-feira (14), decreto de estado de emergência ambiental para todo o Estado, devido a grande incidência de incêndios florestais e a rigorosa estiagem. A medida, que terá reconhecimento imediato do governo federal, garantirá a liberação de recursos do Ministério do Desenvolvimento Regional para ampliar a estrutura operacional de combate aos focos de calor.
 
O decreto será assinado na presença do secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Lucas Alves, que chegou na tarde deste domingo em Campo Grande e se reuniu na Sala de Situação da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) com o secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck. Participaram do encontro, o Corpo de Bombeiros, Imasul (Instituto de Meio Ambiente de MS), Ibama e Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima).
 
“O presidente Jair Bolsonaro e o ministro Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) determinaram que seja feito o que for preciso para controlarmos os incêndios florestais em Mato Grosso do Sul”, garantiu Alexandre Alves. “Vamos reconhecer de imediato o decreto estadual de emergência e usaremos todas as soluções e tecnologias, colocando na conta do Estado ainda esta semana recursos para transportes, combustível e locação de aeronaves.”
 
Ação conjunta
 
O secretário nacional de Proteção e Defesa Civil avalizou que não faltarão recursos financeiros para o Estado ampliar as ações de combate aos focos de incêndios, que agora e alastram, além do Pantanal, para as regiões de Alcinópolis e Costa Rica, na divisa com Mato Grosso e Goiás. “Vamos dar resposta imediata a estes desastres em apoio ao Estado, empenhando rapidamente a transferência de recursos. É a ordem que recebi do presidente”, completou.
 
Reunião entre secretário Jaime Verruck, secretário Nacional da Defesa Civil Alexandre Alves e equipe estadual define ações de combate aos incêndios
Para que os recursos cheguem em caráter emergencial, a Semagro, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil definiram, na reunião com o secretário nacional, um plano de trabalho, elencando prioridades e projetando os custos operacionais para ampliar as ações de campo.
 
O titular da Semagro, Jaime Verruck, relatou ao representante do governo federal a situação crítica que o Estado enfrenta, devido a situação crítica de estiagem, responsável pela maior seca dos últimos 50 anos no Pantanal. “Estamos reforçando nossas ações num momento crítico, com o apoio do governo federal, para um combate mais intenso aos focos de calor, onde contamos também com aeronaves enviadas pelo Ministério do Meio Ambiente”, disse.
 
Verruck destacou também o apoio da ministra Tereza Cristina (Agricultura e Pecuária) na ampliação da força-tarefa criada pelo Governo do Estado em julho, quando o governador Reinaldo Azambuja decretou situação de emergência ambiental nos municípios pantaneiros de Corumbá e Ladário. O secretário citou ainda a participação do Exército, que enviou 70 homens para o combate aos incêndios no Parque Estadual das Nascentes do Taquari, em Alcinópolis.
 
Mais de mil focos
 
Durante a reunião na Sala de Situação, o tenente-coronel bombeiro Waldemar Moreira, apresentou um balanço da Operação Pantanal II, da qual participam a Marinha do Brasil, e a propagação dos incêndios florestais no Estado. Neste domingo, conforme dados de satélites do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), foram registrados 1.344 focos de calor, sendo 378 em Corumbá (28%), 373 em Alcinópolis (27,8%) e 130 em Pedro Gomes (9,7%).
 
De janeiro a agosto, a área queimada no Pantanal somou 2,49 milhões de hectares, sendo 1,2 milhão de hectares em Mato Grosso e 1 milhão em Mato Grosso do Sul. O Pantanal é o terceiro bioma brasileiro mais impactado e com maior concentração de focos de calor (10,9%), com uma área queimada que representa 12,35% de sua extensão. Os atuais focos se concentram nas regiões da Nhecolândia, Paraguai, Paiaguás e Nabileque.
 
Presentes à reunião o comandante do Corpo de Bombeiros de MS, coronel Joílson Alves do Amaral; coordenador estadual de Defesa Civil, coronel Fábio Catarinelli; coordenadora do Cemtec, Franciane Rodrigues; o superintendente regional do Ibama, coronel Luiz Carlos Marchetti; o diretor-presidente do Imasul, André Borges de Araújo; e a técnica da secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, Gisele Paes Gouveia.
 
Texto: Sílvio de Andrade
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 


   
João Maria Lós, presidente do TRE:
    
   
Ramiro Piergentile Neto
Direito de Opinar
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   horadanoticiaredacao@hotmail.com   |   Costa Rica - MS