Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Polícia
02/06/2012 - 09:05
Homem que deu carona a assassino de vereador de Alcinópolis vai a júri
CGrandenews
Vai a júri popular no dia 3 de agosto mais um acusado de envolvimento no assassinato do vereador Carlos Antonio Costa Carneiro, então presidente da Câmara de Alcinópolis. Ele foi executado no dia 26 de outubro de 2010, próximo ao Hotel Vale Verde, em Campo Grande.

Aparecido Souza Fernandes, que vai sentar no banco dos réus, deu carona para o pistoleiro, levando, na garupa da moto, Irineu Maciel até o local do crime.
Ao final do processo, o MPE (Ministério Público) pediu que ele não fosse a júri popular.

Contudo o juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Aluizio Pereira dos Santos, o mandou para julgamento. A promotoria recorreu, mas o TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) manteve a decisão. Sem sucesso, também foi acionado o STJ (Superior de Tribunal de Justiça). Aparecido está preso.

Em fevereiro deste ano, Irineu foi condenado a 19 anos de prisão. Enquanto Valdemir Vansan, acusado de ser contratante do assassinato, recebeu pena de 18 anos.

Reviravolta - Em julho do ano passado foram presos o prefeito de Alcinópolis, Manoel Nunes da Silva (PR) e os vereadores Valter Roniz (PR), Enio Queiroz (PR) e Valdeci Lima (PSDB). A justiça aceitou denúncia contra os vereadores, que vão responder pelo assassinato e podem ir a júri popular.

Mesmo afastado da prefeitura, Manoel Nunes da Silva tem direito a foro privilegiado e só pode ser processado pelo TJ/MS. O tribunal aceitou a denúncia, mas a defesa do prefeito recorreu. Todos estão em liberdade.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
Crise levou chefes de família ao desalento’, diz economista
    
   
Lincoln Secco
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS