www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Saúde
19/02/2021 - 08:02
Após confusão, secretário diz que MS deve receber apenas 30 mil doses
Foto: Reprodução
Campo Grande News
"É uma frustração enorme, trabalhamos e insistimos tanto por essas doses, mas não temos outra saída a não ser aguardar", disse Geraldo Resende, secretário estadual de saúde, após a confirmação de que o Ministério da Saúde não vai cumprir com o prometido sobre a nova remessa de doses das vacinas contra a covid-19.
 
Com a confusão entre Ministério da Saúde e Instituto Butantan, o total de doses que seriam entregues para os estados brasileiros foi reduzida a 30% do que havia sido combinado. Mato Grosso do Sul aguardava quase meio milhão até março.
 
"O ministério receberia 9,3 milhões de doses, mas agora receberá apenas 2,7 milhões. Com essa redução pra 30%, nós esperamos receber então 30.398 doses em Mato Grosso do Sul, que é 30% das 91.196 doses que receberíamos da Coronavac", explicou Geraldo.
 
MS também receberá 1.848 doses da vacina fabricada pelo laboratório Astrazeneca, totalizando então, junto com a expectativa de doses da Coronavac, 32.246 doses de imunizantes contra a covid-19.
 
De acordo com o secretário da SES (Secretaria Estadual de Saúde), a previsão de chegada das doses continua mantida para a próxima terça-feira (23), possibilitando a volta da imunização em MS na quarta-feira (24). 
O secretário ainda afirmou que a SES vai enviar as novas doses para todos os municípios do Estado, de forma proporcional à população de risco para continuar o cronograma que já existe. As doses da Astrazeneca, segundo Geraldo, serão distribuídas para a população ribeirinha e quilombola, que será incorporada ao calendário de vacinação.
 
"Não vamos conseguir vacinar todos eles, mas estamos criando grupos prioritários entre os quilombolas e ribeirinhos para começar a imunizar essa parte da população", disse o secretário.
 
O último lote de vacinas recebidas por Mato Grosso do Sul foi no dia 7 de fevereiro, quando foram entregues 32 mil doses. Ao todo o Estado já recebeu mais de 220 mil doses de imunizantes.
 
Confusão - O Ministério da Saúde divulgou a redução de doses poucas horas depois de anunciar que receberia 9,6 milhões de doses para distribuir aos estados brasileiro. O problema com o número das doses de vacina aconteceu por atraso na importação da matéria-prima da Coronavac, que vem da China.
 
De acordo com o instituto Butantan, fabricante da vacina, o atraso é culpa do Governo Federal, que não tem tido boas relações com o governo chinês. "O Ministério da Saúde omite e ignora fatos em seu comunicado oficial. Deixa de informar que, como é de conhecimento público, o desgaste diplomático causado pelo governo brasileiro em relação à China provocou atrasos no envio da matéria-prima necessária para a produção da vacina", informou o instituto em nota oficial.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
A primeiro de janeiro de 2021 tomam posse prefeitos e vereadores
    
   
Cientistas descobrem caminho para tratar a depress
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS