www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Política
31/05/2024 - 08:26
André adia novamente a definição e chance de não ser candidato aumenta
A chance de o ex-governador André Puccinelli (MDB) não disputar a Prefeitura de Campo Grande na eleição municipal do dia 6 de outubro está cada vez maior.
 
Isso porque ele adiou novamente a data para a definição sobre a possibilidade de encarar ou não a disputa pela cadeira de chefe do Executivo municipal da Capital pela terceira vez, já que administrou a cidade de 1º de janeiro de 2007 a 1º de janeiro de 2011 e, depois, de 1º de janeiro de 2011 a 1º de janeiro de 2015.
 
Em conversa com o Correio do Estado na manhã de ontem, André Puccinelli disse que ainda tem tempo para sair ou não candidato a prefeito de Campo Grande nas eleições municipais deste ano. 
 
“Até o dia 15 de junho vou tomar uma decisão definitiva sobre essa questão. Hoje [ontem] posso dizer que tenho 95% de chance de ser candidato a prefeito neste ano”, declarou.
 
No entanto, no dia 15 de abril, durante a primeira de uma série de entrevistas que a Rádio CBN Campo Grande e o Correio do Estado realizaram com seis pré-candidatos à prefeitura da Capital, o ex-governador disse que aguardaria até o fim deste mês para bater o martelo sobre disputar ou não o pleito.
 
Na ocasião, ele revelou que teria uma reunião, em Brasília (DF), com o presidente nacional do partido, deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP), para alinhar a liberação de recursos para a campanha eleitoral para prefeito de Campo Grande.
 
“Eu e o presidente estadual do MDB, o ex-senador Waldemir Moka, teremos essa reunião com o Baleia Rossi para definir o montante de recursos que será destinado para minha campanha eleitoral a prefeito da Capital”, declarou.
 
O experiente político ainda completou que explicaria ao presidente nacional do MDB que precisava de uma determinada quantia para fazer a campanha eleitoral. 
 
“Direi que posso aguardar somente até o fim de maio, caso contrário, não vou concorrer. Sem recursos, é melhor ir pescar e cuidar dos netos”, assegurou André Puccinelli na época.
 
Agora, 40 dias depois, o ex-governador mudou a data do ultimato e também o discurso. “O Baleia Rossi deu uma aumentada no valor que pedi, mas ainda não chegou na quantia necessária. Além disso, também faltam algumas outras coisas, e vou procurar acertá-las até o dia 15 de junho. Eu quero ser candidato”, garantiu.
 
No entanto, conforme fontes ouvidas pelo Correio do Estado, nos últimos dias, André Puccinelli teria conversado com diversos partidos sobre a possibilidade de fazer alianças políticas, as quais incluiriam até abrir mão de ser o cabeça de chapa.
 
O motivo, de acordo com essas fontes, seria a falta dos recursos necessários para uma campanha a prefeito de uma capital e também a queda nas pesquisas de intenções de votos divulgadas até o momento.
 
Outro agravante é que a rejeição dos eleitores não recuou, em alguns levantamentos até aumentou, tornando a campanha eleitoral uma grande incógnita e com chances reais de não lograr êxito.
 
Diante desse cenário, André Puccinelli está procurando legendas da direita e do centro para alinhavar um possível acordo político neste ano, mas já de olho no apoio dessas siglas para sua eventual candidatura a deputado federal ou até mesmo a senador em 2026.
 
Com isso, o temor de uma nova desistência do ex-governador de concorrer à Prefeitura de Campo Grande cresce em escala exponencial, e as próximas duas semanas serão definitivas nesse jogo de xadrez político.
 
 Correio do Estado/Daniel Pedra
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
Mais de 30% dos idosos do Brasil são depressivos e 16% solitários
    
   
Lei que equipara a injúria racial
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS