www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Editorial
O Globo
05/01/2016
Relações sociais trazem benefícios à saúde, diz estudo

 
Quanto mais e melhores laços sociais as pessoas desenvolvem, melhor é a sua saúde em diferentes fases da vida, de acordo com um novo estudo da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill, nos EUA. Esta é a primeira pesquisa a vincular de forma direta as relações sociais com condições físicas a exemplo de obesidade abdominal, inflamações diversas e pressão sanguínea elevada. Todos estes fatores podem levar a problemas de saúde a longo prazo, como doenças cardíacas, acidente vascular cerebral e até mesmo câncer.
 
— É importante encorajar adolescentes e jovens adultos a construir e ampliar seus relacionamentos sociais para interagir com outras pessoas. Isto tem o mesmo valor de uma alimentação saudável ou de ser fisicamente ativo — ressalta Kathleen Mullan Harris, professora de Chapel Hill e uma das autoras do estudo.
O trabalho, publicado ontem na revista “Proceedings of the National Academy of Sciences”, baseia-se em pesquisas anteriores que mostram como a longevidade das pessoas estudadas parece proporcional à quantidade de suas relações pessoais. Agora, a equipe de Kathleen mostra como essas mesmas conexões reduzem os riscos de problemas de saúde nos diferentes estágios da vida.
 
O isolamento na adolescência, por exemplo, aumenta o risco de inflamações na mesma intensidade que a inatividade física, enquanto a integração social protege contra males como a obesidade abdominal. Na velhice, diz o estudo, a ausência de relações é mais prejudicial no controle da hipertensão do que o diabetes. Já na meia idade, a pesquisa deixa claro que o que importa não é tanto o número de conexões sociais de um indivíduo, mas, sim, o que essas relações fornecem em termos de apoio ou contra a tensão social.
 
PUBLICIDADE
 
— A relação entre a saúde e o grau em que as pessoas são integradas em grandes redes é mais forte no início e no fim da vida, e não tão importante na meia idade, quando a qualidade dos relacionamentos é mais importante do que a quantidade — destaca Kathleen.
 
Coautora do levantamento, a professora Yang Claire Yang defende que os médicos fiquem mais atentos à importância das relações sociais de seus pacientes.
 
— Os profissionais de saúde devem redobrar seus esforços para ajudar o público a entender como os laços sociais são importantes em nossas vidas — explica.

 

Notícias em Destaque
17/08/2018 Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento em parceria com Sebrae/MS realizam, capacitação para administrar fluxo de mercadorias
16/08/2018 Peão de rodeio morre após cair com cavalo em fazenda
16/08/2018 O juiz Odilon chega à Costa Rica nesta sexta-feira por volta das 16 horas, e faz caminhada acompanhado do delegado Cleverson
15/08/2018 Alvos do Gaeco ficam em silêncio em depoimento no Estado vizinho
15/08/2018 MP-MS quer fim da diferença por gênero em vagas de concursos da PM e Bombeiros
 
     COLUNISTAS
  
     GALERIA DE FOTOS
Odilon esteve em Costa Rica: realizou palestra contra as drogas
  
Imagem do dia
Policia civil de Costa Rica queima quase 600 quilo de maconha
 
   
Crise levou chefes de família ao desalento’, diz economista
    
   
ESTADÃO
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS