www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Entrevistas
05/11/2014
Aos 45 do terceiro turno

Aécio ainda não aceitou a derrota. Suas pesquisas particulares (de institutos inexpressivos, é verdade) cravavam vitória por larga margem. Segue com esperança de ainda ganhar em 2014, agora, aos 45 do terceiro turno. Como não contava em perder, reconta votos. Ou tenta recontar.
 
Da minha parte, faço votos de que perca uma vez mais na tal prorrogação. Sou mineiro e levianamente não votei nele, na esperança de que finalmente venha a assumir o mandato de senador conquistado há quatro anos e que, até o momento, parece não ter sido “inaugurado”.
 
Ainda há tempo: os 50 meses restantes são mais do que ele ficaria na Presidência da República. Isso, claro, se ele realmente fosse favorável ao fim da reeleição já para agora, e não apenas para 2022, como defendia em bastidores.
 
Faltou transparência ao nobre candidato nas jornadas de campanha. Não apenas nas propostas de futuro, mas no trato com os esqueletos do passado, os quais os tais retrovisores teimavam em mostrar quase que em alta definição. O defensor-mor da famigerada meritocracia encontrou vida fácil em antigas indicações que recebeu de parentes para ingresso no serviço público. O arauto da eficiência e da moralidade até hoje não explicou quanto de recurso público seus governos em Minas deixaram docemente migrar para as rádios da família, tampouco elucidou de maneira categórica o tal aeroporto em Cláudio. Passagens obscuras que, como muito se falou na internet, não o desconstruíram. Antes disso, revelaram-no para aqueles que não o conheciam.
 
Mas Aécio sai das urnas bem maior do que entrou. A derrota eleitoral foi vitória política. Venceu parte do desconhecimento que lhe acometia principalmente na sobreloja da geografia brasileira. Que votou predominantemente em Dilma, mas que agora já ouviu falar de um tal mineiro-carioca Aécio Neves.
 
(Em tempo: Minas e Rio, que o conhecem melhor do que todos, impuseram-lhe emblemáticas e pedagógicas derrotas).
 
O maior obstáculo para o senador no futuro, contudo, é que seus adversários internos no PSDB em uma próxima corrida presidencial também conquistaram importantes êxitos ao fim de 2014, incluídos aí triunfos eleitorais: José Serra, seu novo colega de Senado, desbancou os 24 anos de Casa de Eduardo Suplicy. Geraldo Alckmin, por sua vez, com o perdão do trocadilho, só não fez chover na corrida pelo Palácio dos Bandeirantes.
 
É cedo para qualquer especulação sobre o próximo pleito. Ainda mais quando o atual derrotado e parte considerável do seu eleitorado teimam em não virar a página da disputa e clamam, por petição ao TSE ou aos amigos virtuais, o defenestrar de quem legitimamente conquistou a maioria de “CONFIRMAS” no último dia 26.
 
Estamos pelos acréscimos do juiz nessa partida, e a regra já foi mais clara em “Fla X Flus” eleitorais de outros tempos. Aqueles do retrovisor.
Notícias em Destaque
16/08/2019 Audiência Pública debate concessão da MS-306 e visa receber sugestões para aprimorar projeto
15/08/2019 Moro defende vetos em projeto de lei sobre abuso de autoridade
15/08/2019 Arraiá da Belonízia perpetua tradições caipiras pantaneiras e agita comunidade do Curralinho
15/08/2019 Saúde realiza campanha de arrecadação de Alimentos em prol do Hospital do Amor
15/08/2019 Governo determina suspensão do uso de radares móveis em rodovias federais
 
     COLUNISTAS
  
     GALERIA DE FOTOS
A Carioca Anitta anima o público neste domingo no Centro de Eventos durante o 8ª Rancho dos Amigos
  
Imagem do dia
Policia civil de Costa Rica queima quase 600 quilo de maconha
 
   
Previdência: reforma corta pensão por morte pela metade e prejudica os cônjuges
    
   
Reforma da Previdência:
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS